a chama de uma vela




"Existe um parentesco entre a lamparina que vela e a alma que sonha. Tanto para uma quanto para a outra o tempo é lento.  Tanto no devaneio quanto na luz fraca encontra-se a mesma paciência.
(...)
Refazendo para nós mesmos as imagens do cubículo do filósofo meditando, vemos sobre a mesma mesa a vela e a ampulheta, dois seres que medem o tempo humano, mas em estilos bem diferentes. A chama é uma ampulheta que escorre para o alto. Mais leve do que a areia que desmorona, a chama constrói sua forma, como se o próprio tempo tivesse sempre alguma coisa a fazer."

- A Chama de uma Vela (The Flame of a Candle), Gaston Bachelard